15 de Junho, 2024

Memórias em espelho, Paris e Lisboa num olhar multidisciplinar sobre o 48X48

AGENDA | Colóquio Internacional Paris, 7 e 8 de abril de 2022

COLÓQUIO INTERNACIONAL 48X48: 48 ANOS DE DEMOCRACIA APÓS 48 ANOS DE DITADURA TEMPORALIDADES PORTUGUESAS FACE A FACE

Colóquio internacional organizado em Paris e Lisboa no âmbito da Temporada França – Portugal 2022 pelo Centro de Investigação Interdisciplinar sobre o Mundo Lusófono (CRILUS – Universidade de Nanterre de Paris), Presidente Lindley Cintra, Camões, I. P, (Paris Nanterre University) e Centro de Estudos Sociais (CES – Universidade de Coimbra) de 7 de abril de 2022 a 8 de abril de 2022.

Colóquio em Paris-Nanterre

O dia 25 de abril marca a celebração anual da Revolução dos Cravos desde 1974, que relembra o advento da democracia portuguesa. Anteriormente, durante 48 anos Portugal viveu sob a ditadura mais longa da Europa Ocidental do século XX. Em 2022, duas temporalidades iguais se enfrentam: 48 anos de ditadura seguidos de 48 anos de democracia.

7 de abril:
Das 9h30 às 18h30.
Universidade de Paris Nanterre (Edifício Max Weber)
Edifício Max Weber (W)
Universidade de Paris Nanterre, Bldg. Max Weber – Sala 2

8 de abril:
Das 9h30 às 18h30.
Casa de Portugal-André de Gouveia / 7 P boulevard Jourdan – 75014 Paris
Cidade Universitária Internacional de Paris (RER B: Cidade Universitária)


O dia 25 de abril marca a celebração anual da Revolução dos Cravos desde 1974, que relembra o advento da democracia portuguesa. Anteriormente, durante 48 anos Portugal viveu sob a ditadura mais longa da Europa Ocidental do século XX. Em 2022, duas temporalidades iguais se enfrentam: 48 anos de ditadura seguidos de 48 anos de democracia.
O colóquio oferece uma reflexão multidisciplinar na forma de um espelhamento temporal desses dois períodos que se enfrentam. Pretendemos abordar os vários campos artísticos e disciplinares (literatura, linguística, artes visuais e performativas, cinema, história da cultura, filosofia mas também as ciências sociais, etc.), bem como os procedimentos de pensamento e as formas de representação utilizadas para fazer do passado um uso ponderado num presente em formação.


Considerando que “a pós-memória não se relaciona com o passado por meio da rememoração, mas por meio de um investimento imaginário, uma projeção e uma criação” (Hirsch, 2014), este colóquio internacional propõe-se a examinar, numa perspectiva multidisciplinar e transversal, as circulações e legados dessas memórias do passado-presente cruzadas. A questão da transmissão intergeracional da memória (se sentida ou não como traumática) será analisada à luz dos fenómenos da pós-memória ditatorial, colonial, migratória, referindo-se às representações dos sentimentos dessas temporalidades e suas projeções no futuro. .”

Organização


Centre for Interdisciplinary Research on the Lusophone World (CRILUS) e Lindley Cintra Chair, Camões, I.P, Universidade de Paris Nanterre/França.
Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra, através do projeto, MAPS Pós-Memórias Europeias: uma cartografia pós-colonial, Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT – PTDC/LLTOUT/7036/2020).

Parcerias


Casa de Portugal – André de Gouveia – Cité Universitaire
Biblioteca de Alcântara, Lisboa


Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.