22 de Junho, 2024

AGENDA – 4 de maio 2024, 16:00 Mira Fórum

Sessão sobre clandestinidade e exílio com a participação de Domicília Costa, Pedro Bacelar de Vasconcelos e Tino Flores.

DOMICÍLIA COSTA

Nasceu a 25 de Janeiro de 1946, na vila de Alhandra, freguesia de Vila Franca de Xira. Em Fevereiro de 1953, dias após ter completado 7 anos, e meses depois de ter entrado para a escola, o pai despediu-se da fábrica onde trabalhava desde os 17 anos e foram morar para Lisboa. A família iniciava, assim, a preparação para a clandestinidade, cortando todo e qualquer contacto com os familiares. Com 13 anos passou a ser considerada membro e funcionária do PCP. ganhando o mesmo salário e pagando a mesma cota dos funcionários.

PEDRO BACELAR DE VASCONCELOS

Nasceu no Porto em 1951. Em 1972, na sequência de uma ocupação não autorizada de uma sala de aulas na Faculdade de Direito, em Coimbra, foi identificado por um informador da PIDE e condenado em processo disciplinar sumário no final desse ano.

Na sequência dessa condenação foi incorporado no Exército colonial assentando praça no quartel de Mafra em Março de 1973.

Perante o dilema moral de matar os combatentes anticoloniais ou de morrer ou deixar morrer os seus homens, nos princípios de Setembro de 1973, decide desertar. Desertou no fim do verão, mas, por vontade própria, passou à clandestinidade, naturalmente com documentos e identidade falsos, indo fazer trabalho político na Covilhã a par de mergulhar no mundo operário da região.

TINO FLORES

Nasceu no Porto em 19 de Janeiro de 1947 Em Agosto de 1967. Atravessou, a salto” a fronteira de Vilar Formoso, para fugir ao serviço militar obrigatório na guerra colonial. Radica-se em Grenoble. Após o Maio de 68 fixa-se na cidade de Paris. Iniciou o seu percurso na música ainda durante a juventude, mas foi em Paris que começou a tocar e cantar de forma mais consistente, e aquando do Maio de 68, já atuava em grupos organizados de apoio a movimentos grevistas, juntamente com Luís Cília, Sérgio Godinho e José Mário Branco

Participou na organização O Comunista” e depois na OCMLP.

Em Maio de 1974, logo após a revolução do 25 de Abril, foi um dos membros fundadores do GAC, juntamente com José Mário Branco, Afonso Dias e Fausto.

Fonte: AJA Norte

Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.