17 de Junho, 2024

Cartas da Europa, a República de Labin

EUROPA PARA OS CIDADÃOS | Projeto europeu PEOPLE | LABIN

Em Labin, na Croácia na península de Ístria, em 1921, teve lugar o primeiro grande levantamento contra o fascismo italiano. Os mineiros ocuparam as minas, formaram um governo, criaram a Guarda Vermelha e organizaram a produção e o funcionamento da vida local em articulação com os agricultores da região. Entre 7 de março e 8 de abril de 1921 os fascistas que impunham a sua lei no país, então dominado pelos italianos, foram confrontados com a força de uma classe que pratica a solidariedade para sobreviver no interior das minas e que a utiliza também para defender o seus direitos.

Chegámos a Labin a meio da tarde. Na viagem desde Pula, onde o aeroporto distribui os recém-chegados para o oeste turístico do Adriático ou em alternativa para o lado este da península, mais industrial e menos dominado pela “indústria do sol e praia”, Alek fez as primeiras referências à importância da atividade mineira e até à inauguração por Mussolini, em Rasa, de um complexo habitacional para os mineiros.

À chegada, um pórtico gigante no centro da cidade, anunciava que estávamos em terra de mineiros. Dali desciam então os homens que ostentavam lanternas nos capacetes e arrancavam o minério das entranhas da terra. Foram anos e anos a fio que Labin viveu do trabalho nas minas. Até que um dia fecharam os poços e trancaram as portas dos túneis como se a terra tivesse secado.

Na manhã seguinte descemos por carreiros e caminhos de cabras até à baia a uns 3 km de Labin. A intenção era conhecer alguma aldeia de pescadores que por ali tivesse sido implantada para retirar os benefícios do mar.

No percurso tropeçámos em símbolos religiosos e em santuários improvisados que nos remeteram para crenças e devoções que podemos encontrar noutras paragens, em formas similares.

O regresso a Labin, frustrada a tentativa de encontrar os poveiros ou os nazarenos locais, recolocou-nos na rota dos mineiros e do seu passado de trabalho, de luta e de repressão de que foram objeto após a experiência da República autogerida e autogestionária.

Recordemos que após o fim da Primeira Guerra Mundial, a Itália recebeu as regiões da Ístria e partes da Dalmácia em consequência do Tratado de Saint-Germain e começou a revitalizar e explorar o potencial económico dos territórios ocupados.

Greve geral dos mineiros

Antes da Marcha de Mussolini em Roma na Itália, bandos de fascistas ocuparam a sede do Comité Operário em Trieste em 1921, incendiaram e atacaram representantes do Sindicato Mineiro de Raša. Entretanto cerca de 2 mil mineiros avançaram com uma greve geral.

Uma das causas da greve foi a decisão dos donos das minas de não pagarem a gratificação de fevereiro de 1921, já que os mineiros haviam tirado um dia de férias para celebrar a Candelária no dia 2 de fevereiro, embora a administração o tenha abolido como feriado. “Para os mineiros a Candelária era, a par da festa de Santa Bárbara, o dia mais importante porque o 2 de fevereiro simbolizava a luz”.

Os mineiros de então tinham diferentes origens – croatas, eslovenos, italianos, alemães, checos, eslovacos, polacos e húngaros. Eram liderados por Giovanni Pippan, enviado pelo Partido Socialista Italiano de Trieste. No entanto, em 1º de março de 1921, Pippan foi raptado por um grupo de fascistas na estação ferroviária de Pazin, onde foi espancado. A notícia chegou a Labin no dia seguinte e em 3 de março os mineiros se reuniram e decidiram ocupar a mina em resposta. Em cooperação com camponeses das áreas rurais mais próximas, organizaram uma “guarda vermelha” para garantir a segurança e manter a ordem.

República proclamada pelos mineiros

Os mineiros proclamaram a república nas minas ocupadas em 7 de março com o slogan Kova je nasa (“A mina é nossa”). Organizaram um governo e a chamada Guarda Vermelha como proteção contra a aplicação da lei italiana e começaram a gerir a produção de minas por conta própria com o apoio de agricultores.

Centenário da República de Labin

Em 8 de abril de 1921, a administração italiana instalada na península de Ístria, respondendo aos pedidos de intervenção dos proprietários das minas, decidiu suprimir a república usando a força militar. Mil soldados cercaram a mina e conseguiram quebrar a forte resistência dos mineiros. Os mineiros presos foram enviados para prisões em Pula e Rovigno. A acusação pretendeu condenar 52 mineiros em bloco mas não conseguiu e estes foram absolvidos.

CENEMA | Filme CRVENI | CRNI 1965

Para apaixonados por cinema aqui fica um filme realizado em 1985 sobre a República de Labin (sem legendas, nem dobragem).

Fotos © Carlos Ribeiro/CaixaMedia

ARTIGO inserido no plano de Comunicação do Projeto PEOPLE apoiado e co-financiado pelo Programa Europa para os Cidadãos.

Please follow and like us:
Pin Share

Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Follow by Email