15 de Junho, 2024

As Caldas da Rainha faziam parte da geografia emotiva de Humberto Delgado

DOSSIÊ | Caldas TRL – Terra de Resistência e Luta

por Federico Delgado Rosa, neto e biógrafo de Humberto Delgado

Durante a sua lendária campanha presidencial contra o regime de Salazar, em 1958, Humberto Delgado fez um grande esforço para calcorrear o país de Norte a Sul e contactar diretamente com o povo que nele depositava a esperança num Portugal livre e justo. Não era humanamente possível ir a todo o lado, mas Humberto Delgado fez questão de incluir as Caldas da Rainha no seu lendário périplo, quando regressava de uma intensa viagem do Porto a Bragança, de Bragança a Viseu, de Viseu a Aveiro, e depois em direção a Lisboa, entre 22 e 25 de maio de 1958.

Um momento dramático da campanha eleitoral

Esse apego às Caldas da Rainha é indissociável da sua ligação pessoal e política à família Maldonado Freitas, de vetusta tradição republicana, e em particular ao seu grande correligionário Artur Maldonado Freitas (1912-2000), mandatário da Candidatura, que estivera bem do lado de Humberto Delgado – moral e fisicamente – num dos momentos mais dramáticos da campanha eleitoral, quando no dia 16 de maio de 1958 as forças policiais, sob ameaça de disparo, impediram a viatura do General sem Medo de ir ao encontro do povo que o esperava no centro da capital.

Aldeia adotiva e refúgio espiritual, a Cela Velha

Da passagem pelas Caldas, sobrevivem raras fotografias reveladoras do entusiasmo popular; e mais uma vez o combatente antifascista Maldonado Freitas surge a seu lado. Mas para além dessa ligação política centrada simbolicamente no nome de Artur e também de Custódio Maldonado Freitas (1917-1994), filhos do insígne republicano Custódio Maldonado Freitas (1886-1964), as Caldas da Rainha faziam parte da geografia emotiva de Humberto Delgado, que sempre fazia paragem obrigatória na cidade – e seu célebre mercado de rua! – quando a caminho da sua aldeia adotiva e refúgio espiritual, a Cela Velha. Humberto Delgado admirava a rainha Dona Leonor, Rafael Bordalo Pinheiro e… as especialidades locais.

Frederico Delgado Rosa, neto e biógrafo de Humberto Delgado

Crédito: © Arquivo Fotográfico Humberto Delgado/Torre do Tombo

Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.