15 de Junho, 2024

LIVROS, MÚSICA & VIDA CULTURAL | “Prazer, Camaradas!”, de José Filipe Costa

por Carlos Campos Ventura

Dia 14 de abril houve o visionamento na Cinemateca Nacional de PRAZER, CAMARADAS, antecedido da apresentação pública do DVD.

1974 foi a charneira, entre o antes e o depois, os dois anos durante os quais não só a superestrutura do Estado foi deposta e reposta, mas diárias convulsões de mudança atravessaram a sociedade portuguesa – por isso esse tempo foi de revolução.

Reforma agrária

Portugal continuava a ser nos anos 1970 um país com forte economia rural – daí que a reforma agrária tivesse tido tanta importância, com latifúndios que tinham as suas raízes antigas nas extensas propriedades detidas há dois mil anos pelos romanos estabelecidos nestas vastas zonas cerealíferas.

Nesses anos muitos portugueses antes exilados voltaram, trazendo neles outras vivências de anos noutros países, quase todos europeus e mais livres. Também muitos estrangeiros visitaram Portugal, tornado local de peregrinação e derradeira oportunidade para ver e participar ao vivo numa revolução na Europa. Foram meses escaldantes, exaltantes, nos quais tudo era possível e o futuro não existia porque o presente estava a construi-lo.

1968 a desaguar em Portugal

Em 74-75 o debate político interrogava o modo de produção, questionava as grandes fortunas, os partidos e o Estado, mas 1968 estava também a desaguar em Portugal. A política do quotidiano tomou também lugar e passou a viver neste país solar e no seu verão quente.

É disto que PRAZER, CAMARADAS trata. Não nas cidades, nas quais já de há alguns anos a libertação sexual e a igualdade homem-mulher vinham tendo alguma prática, principalmente entre as camadas universitárias e certos ambientes de esquerda. O filme passa-se em pleno ambiente de reforma agrária ribatejana e põe homens e mulheres que viveram esse tempo a revivê-lo agora, em 2019. Têm mais quarenta e cinco anos de vida, mas as memórias – que foram tão marcantes – reflorescem e envolvem-nos com a frescura das descobertas e contradições da juventude.

O DVD está agora disponível

É um filme surpreendente, jovial, pleno de humor e autocrítica cúmplice. Já esteve nas salas, mas a boa notícia é que o DVD está agora disponível. Comprem-no e usufruam do seu visionamento. É um documento de uma época de Portugal e da Europa.

Mas o seu visionamento é também um prazer, camaradas!

Fotoc © SF | Editado SF – Subtítulos – Ilustrações

Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.