22 de Junho, 2024

Camilo de Sousa, exilado, da Bélgica para a Tanzânia para se juntar à Frelimo

OUTROS EXÍLIOS | Camilo de Sousa

Por José Pinto Sá | Editado SF

Guerrilheiros de Frelimo e soldados portugueses confraternizando em Diaca (Cabo Delgado). Em 1974, logo após o 25 de Abril (e bem antes da assinatura dos Acordos de Lusaka, que reconheceram o direito à Independência, imediata e incondicional. Na foto o mulato barbudo Camilo de Sousa, cineasta-guerrilheiro da Frelimo durante a Luta é hoje um documentarista internacionalmente premiado.

Camilo de Sousa foi exilado na Bélgica, antes de seguir para a Tanzania para se juntar à Frelimo.

Camilo de Sousa

No início dos anos 70, Camilo de Sousa saiu de Lourenço Marques, Moçambique, deu a volta pela Europa e juntou-se aos guerrilheiros da Frelimo. Primeiro na base de treino de Nachingwea e depois na luta de libertação nacional. Tinha na altura vinte anos.
Hoje, a viver em Portugal, regressa a Moçambique para reencontrar dois camaradas de armas, que conheceu na guerrilha e com quem depois partilhou a direcção do partido em Cabo Delgado, até descer de novo à agora Maputo e integrar o novel Instituto de Cinema, tornando-se realizador. Com Aleixo Caindi e Julião Papalo ele rememora tempos antigos, quando a alegria da libertação deu lugar aos tempos negros em que a procura do ‘homem novo’ veio destruir os sonhos e as ilusões de um país…

Camilo de Sousa

Texto e foto © José Pinto Sá | Évora | Editado SF

Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.