15 de Junho, 2024

La Colonia de Vizar, aqui perto fuzilaram Garcia Lorca

MEMÓRIAS VIVAS | 19 de agosto 2022 | Garcia Lorca | Editado às 14h00

84 anos após o assassinato de Federico García Lorca, várias associações de memória voltaram a exigir que a Colónia de Víznar, onde o poeta passou suas últimas horas, seja declarado Lugar de Memória Histórica da Andaluzia.

Anália Gomes, atenta à cerimónia ocorrida ontem em Viznar, recordou que “Federico García Lorca foi assassinado há 86 anos pelos franquistas perto de Víznar, Andaluia. Por ser revolucionário, antifranquista e assumidamente homossexual. Como muitos outros foi enterrado numa vala comum sem identificação. Como é habitual, o ato hediondo é assinalado odos os anos em 18 de agosto. Em 2020 juntaram-se várias associações reclamaram que o lugar seja declarado “Lugar de Memoria Histórica de Andalucía”.

“Um antigo moinho em Víznar é conhecido como La Colonia, que foi usado pela República como local de férias para os filhos dos trabalhadores; por isso recebe este nome. No entanto, quando ocorreu o golpe militar, foi convertido em prisão pelos franquistas. Os pesquisadores Agustín Penón e Ian Gibson descobriram que Federico García Lorca passou as últimas horas de sua vida lá. Horas de amargura que o poeta compartilhou com o maestro Dioscoro Galindo e os banderilleros Francisco Galadí e Juan Arcollas Cabezas. O falangista José Jover Tripaldi, guarda de La Colonia encarregado de vigiar os prisioneiros, afirma que todos permaneceram calados por ordem das autoridades e que Federico ficou abatido” assim refere La Colónia o jornalista Francisco Vigueras, porta-voz da Asociación Granadina Verdad, Justicia y Reparación.

Vídeo completo do ato realizado.

Editor

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.